Entre em contato: (67) 3382-6680
Marca

Notícias

Português elimina em processos seletivos

.

Compartilhe:

 

provasfalta de conhecimento da Língua Portuguesa está virando uma pedra no sapato de muitos estudantes brasileiros em busca de uma vaga no mercado de trabalho. Pesquisa do Nube revela que estudantes de Pedagogia, Jornalismo, Matemática e Psicologia são os piores em ortografia. 

Para dimensionar esse problema, o Núcleo Brasileiro de Estágio (Nube) aplicou um teste em 7.219 participantes durante todo o ano de 2012. O tal teste era um ditado com 30 palavras do cotidiano, como “seiscentos”, “escassez”, “artificial”, “sucesso”, “licença” e “censura”. Era considerado reprovado quem cometesse mais de sete erros. Exatos 2.081 candidatos (28,8%) não obtiveram êxito na etapa da seleção e foram eliminados. As mulheres se saíram melhor. Apenas 26,6% não passaram. Já entre os homens, o número foi maior, 32%.

Outro dado chamou a atenção: os mais novos, com idade entre 14 e 18 anos, apresentaram melhor desempenho, com 75% de sucesso, superando outras faixas como a de 19 a 25 anos (68,9%), 26 a 30 anos (69,2%) e acima de 30 anos (71,2%).

“Impressiona o fato de os jovens na fase da universidade, registrarem erros graves na grafia. Apenas 25% dos brasileiros mantém o hábito da leitura” afirma Erick Sperduti, supervisor de seleção do Nube. A falta de intimidade com as palavras rouba muitas oportunidades de carreira, claro.

Problema técnico - Separando por níveis de ensino, alunos de médio técnico lideram negativamente o ranking com pior desempenho nos testes ortográficos. Em torno de 37% ultrapassaram as falhas aceitáveis, seguidos dos estudantes do superior tecnólogo (30%), médio (29%) e superior (28,5%). Quem estuda em escola pública teve desempenho pior (30%) do que quem está em instituições particulares (17%).

Já na faculdade os dados quase se invertem. Cerca de 30% dos jovens das escolas privadas ficaram para trás contra 19% das faculdades municipais, estaduais ou federais.

Resultados surpreendentes - Entre os cursos, também foram divididos aqueles com melhores e piores índices. Para surpresa de todos, com desempenho mais baixo, em quantidade de reprovados, estão os alunos de Pedagogia (50%), Jornalismo (49%), Matemática (41,4%), Psicologia (41%) e Ciência da Computação (40%).

Na outra ponta, com maior aprovação estão Comércio Exterior (83%), Medicina Veterinária (82%), Relações Públicas (80%), Engenharia de Produção (80%), Nutrição (75,5%), Engenharia Elétrica (74,5%) e Direito (74%).

“A prática de leitura e, principalmente, o hábito de escrever suas ideias é um bom exercício para aprimorar a linguagem e não perder boas oportunidades em provas como o Enem ou processos seletivos”, ressalta Sperduti. “O desafio para os futuros profissionais não é apenas concluir o curso, mas mostrar domínio do nosso idioma”, finaliza.

30/10/2013
© Mandetta Cursos e Concursos - Todos os Direitos reservados Desenvolvido por Gestão Ativa Soluções Web